Cinema sem fio

O programa “Cinema sem fio” integra as atividades de formação de público do canteiro aberto. “Formação” não como ensinamento ou mesmo aprendizado coletivo, ou não apenas, mas fundamentalmente como constituição de um público do local.

O primeiro filme do programa foi escolhido pela equipe de ativação cultural e todos os filmes seguintes pelo público presente nas sessões, a partir do filme visto e debatido coletivamente. A condição para que o próximo filme seja exibido é a pessoa que indicou o filme mais votado pelo conjunto do público estar presente na próxima sessão e fazer uma apresentação na qual estabeleça uma relação entre os dois filmes; o já projetado e o seguinte, assim garantindo uma continuidade não somente do programa mas do público (afinal, o público escolhe o filme que tem interesse em ver). E assim por diante. 

As sessões deste cineclube hoje são mensais, acontecendo toda primeira quinta-feira do mês.

Sessões já realizadas:

1ª sessão (02/07/2015): Esse amor que nos consome, Allan Ribeiro (2013)
2ª sessão (16/07/2015): Elevado 3.5, João Sodré, Maíra Santi Bühler e Paulo Dominguez Pastorelo (2007)
3ª sessão (30/07/2015): Avenida Brasília Formosa, Gabriel Mascaro (2010)
4ª sessão (20/08/2015): Família Braz – Dois tempos, Arthur Fontes, Dorrit Harazim (2011)
5ª sessão (03/09/2015): Em trânsito, Marcelo Pedroso (2013) e Pacific, Marcelo Pedroso (2009)
6ª sessão (01/10/2015): Sabotage: Maestro do Canão, Ivan 13P (2015)
7ª sessão (05/11/2015): Na quebrada, Fernando Grostein Andrade (2014)
8ª sessão (03/12/2015): Faroeste Caboclo, René Sampaio (2013)
9ª sessão (14/01/2016): Viajo porque preciso, volto porque te amo, Marcelo Gomes e Karim Aïnouz (2010)
10ª sessão (04/02/2016): Iracema – uma transa amazônica, Jorge Bodanzky e Orlando Senna (1974)
11ª sessão (03/03/2016): A noite do espantalho, Sérgio Ricardo (1974)
12ª sessão (07/04/2016): Tatuagem, Hilton Lacerda (2013)
13ª sessão (05/05/2016): Meu amigo Cláudia, Dácio Pinheiro (2009)
14ª sessão (02/06/2016): Revelações secretas de uma mulher, Kazuo Hara (1974)
15ª sessão (07/07/2016): As hiper mulheres, Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takuma Kuikuro (2011)
16ª sessão (04/08/2016): Terra deu, terra come, Rodrigo Siqueira (2010)
17ª sessão (01/09/2016): Pouco a pouco, Jean Rouch (1972)
18ª sessão (06/10/2016): rinop – meu primeiro contato, Mari Corrêa e Karané Ikpeng (2007)
19ª sessão (03/11/2016): Rapsódia em agosto, Akira Kurosawa (1991)
20ª sessão (01/12/2016): Corações sujos, Vicente Amorim (2012)
Recomeço do fio – 21ª sessão (09/03/2017): TAVA, a casa de pedra, Ariel Ortega, Ernesto de Carvalho, Patricia Ferreira e Vincent Carelli (2012)
22ª sessão (06/04/2017): A cidade é uma só?, Adirley Queirós (2013)
23ª sessão (04/05/2017): Jaci – Sete pecados de uma obra amazônica, Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros (2012)
24ª sessão (01/06/2017): O Prisioneiro da grade de ferro, Paulo Sacramento (2003)
25ª sessão (21/09/2017): Pierre Fatumbi Verger: Mensageiro entre dois mundos, Lula Buarque de Hollanda (1998)
26ª sessão (05/10/2017): O ódio, Mathieu Kassovitz (1995)

Observação: Na 20ª sessão o público imaginou o filme Lavoura arcaica, de Luiz Fernando Carvalho (2001), para dar continuidade ao programa. Sem respostas aos pedidos de autorização de exibição do filme, a equipe de ativação cultural decidiu iniciar um novo fio a partir da 21ª sessão.