Usos Espontâneos

É parte intrínseca do projeto Vila Itororó Canteiro Aberto a concepção de que as experimentações diversas e os debates públicos realizados no centro cultural temporário hoje, no presente, irão inspirar os usos futuros da Vila. Para que esses usos sejam diversos, abrangentes e mesmo surpreendentes, uma das propostas curatoriais para o espaço foi pensar o galpão como uma grande praça pública aberta a usos espontâneos pelo público.

Aqui estão sendo publicados, pouco a pouco, registros de usos espontâneos diversos que já aconteceram no galpão. Abaixo das imagens estão as regras de usos espontâneos.

As regras gerais de uso desse espaço são:

1) As ações devem acontecer nos horários de abertura e nos espaços determinados pela equipe de ativação cultural (não é possível reservar uma área no galpão);
2) Não podem ter natureza ou fins comerciais, publicitários ou partidários;
3) Cada indivíduo/grupo deve respeitar os demais indivíduos/grupos que usam o espaço, aí incluídos trabalhadores permanentes do canteiro (ex: é possível realizar atividade com aparelho ou instrumento sonoro desde que o som não atrapalhe outros usos em curso, inclusive atividades no escritório da obra*);
4) Não são acolhidas feiras, exposições ou apresentações diversas como parte dos usos espontâneos. São priorizados processos e ensaios, não resultados, por se tratar de um canteiro de obras onde tudo – incluindo a própria noção de cultura – está em construção.
5) As regras coletivas podem ser revistas e repensadas pelo público junto à equipe de ativação cultural e novas regras podem ser criadas, a partir de inspirações, necessidades e problemas que surgirem dos próprios usos.

*O volume de som permitido será determinado por integrante da equipe de ativação cultural presente no galpão. Quando uma atividade precisar de som em volume alto para acontecer, essa atividade não pode integrar os usos espontâneos do espaço, sendo necessária uma conversa prévia com a equipe de ativação cultural, para ver se é possível agendar a atividade em data(s) específica(s). A ideia é que nenhuma atividade espontânea se sobreponha a todas as demais.