MAPEAMENTO CULTURAL DA BELA VISTA

Este mapa correlaciona caracteres culturais do distrito da Bela Vista, com indicadores referentes a educação e saúde, assim como dados sociodemográficos. O objetivo inicial do mapa é permitir um diagnóstico sobre o estado presente do bairro e as possibilidades de atuação do projeto Vila Itororó Canteiro Aberto nele, bem como de outras intervenções no território.

Responsável pelo projeto: Vivian Barbour
Assistência: Bruna Donegá, Marcos Paulino e Isabela Rossi

LEGENDA

Este Mapa relaciona caracteres culturais do distrito, conforme definido pela Prefeitura do Município de São Paulo, com outros indicadores propostos, a fim de permitir um diagnóstico sobre o estado presente do bairro e possibilidades futuras de intervenção e atuação no território.

EETU
Eixos de Estruturação da Transformação Urbana contém as áreas de influência definidas por faixas de influências do sistema estrutural de transporte coletivo de média e alta capacidade que atravessam as macroáreas que integram a zona urbana do Município considerando as linhas ativas ou em planejamento do trem, metrô, monotrilho, VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), VLP (Veículo Leve sobre Pneus) e corredores de ônibus municipais e intermunicipais de média capacidade com operação em faixa exclusiva à esquerda do tráfego geral.

ZEIS 3
ZEIS 3 são áreas com ocorrência de imóveis ociosos, subutilizados, não utilizados, encortiçados ou deteriorados localizados em regiões dotadas de serviços, equipamentos e infraestruturas urbanas, boa oferta de empregos, onde haja interesse público ou privado em promover Empreendimentos de Habitação de Interesse Social.

ZEIS 5
ZEIS 5 são lotes ou conjunto de lotes, preferencialmente vazios ou subutilizados, situados em áreas dotadas de serviços, equipamentos e infraestruturas urbanas, onde haja interesse privado em produzir empreendimentos habitacionais de mercado popular e de interesse social.

ZEPEC
Zonas Especiais de Preservação Cultural são porções do território destinadas à preservação, valorização e salvaguarda dos bens de valor histórico, artístico, arquitetônico, arqueológico e paisagístico, doravante definidos como patrimônio cultural, podendo se configurar como elementos construídos, edificações e suas respectivas áreas ou lotes; conjuntos arquitetônicos, sítios urbanos ou rurais; sítios arqueológicos, áreas indígenas, espaços públicos; templos religiosos, elementos paisagísticos; conjuntos urbanos, espaços e estruturas que dão suporte ao patrimônio imaterial e/ou a usos de valor socialmente atribuído.

ZEPEC-BIR
Bens Imóveis Representativos (BIR) – elementos construídos, edificações e suas respectivas
áreas ou lotes, com valor histórico, arquitetônico, paisagístico, artístico, arqueológico e/ou
cultural, inclusive os que tenham valor referencial para a comunidade.

ZEPEC – Área indicada BIR

ZEPEC – APPa
Sítios e logradouros com características ambientais, naturais ou antrópicas, tais como parques, jardins, praças, monumentos, viadutos, pontes, passarelas e formações naturais significativas, áreas indígenas, entre outras.

ZEPEC – TICP
Áreas que concentram grande número de espaços, atividades ou instituições culturais, assim como elementos urbanos materiais, imateriais e de paisagem significativos para a memória e a identidade da cidade, formando polos singulares de atratividade social, cultural e turística de interesse para a cidadania cultural e o desenvolvimento sustentável, cuja longevidade e vitalidade dependem de ações articuladas do Poder Público.

Uso predominante do solo
Tipo de uso do solo predominante (maior ou igual a 60%) por quadra fiscal. Com a finalidade de análise do espaço urbano, a Secretaria Municipal de Planejamento (Sempla), hoje Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMUL) estabeleceu uma metodologia de agregação resultante do cruzamento entre os valores USO e PADRÃO atribuídos pelo TPCL, para cada imóvel cadastrado, gerando as 16 tipologias de uso H relacionadas na tabela Descrição de Tipologias de Uso do Solo – H. Saiba mais em http://infocidade.prefeitura.sp.gov.br/index.php?sub=notas&cat=17&titulo=Uso%20do%20Solo%20Urbano&subtit=%20-%20Notas%20T%E9cnicas.

IPVS
Índice elaborado pela Fundação SEADE cuja finalidade é oferecer ao gestor público e a sociedade em geral uma visão mais detalhada das condições de vida no interior do município, com a identificação e a localização espacial das áreas que abrigam os segmentos populacionais mais vulneráveis à pobreza.
Quanto mais próximo de 0, menor a vulnerabilidade social.

Fontes:
geosampa.prefeitura.sp.gov.br
pesquisa de campo

Atuaram para a construção desse Mapa:
Bruna Donegá
Marcos Paulino
Vivian Barbour

Realização:
Instituto Pedra